História:Assassin's Creed


Para todo mal, existe o bem. Assim deve ser o equilíbrio e mesmo que, as vezes, parece que o mal prevaleça,
sempre haverá pessoas com o propósito de lutar pelo bem. Nosso mundo é controlado, embora muitos duvidem, por uma Organização, a qual tem um único propósito : explorar os humanos. O público acha que essa Organização, essa sociedade secreta, é os chamados “Iluminattis”. Bem, isso não é verdade. Os Illuminatis são apenas outra peça de uma grande engrenagem que forma a Organização, assim como são os Maçons e a Nobreza Negra. Essa Organização controla quase tudo! Os bancos, as emissoras de TV, a política, enfim, tudo que tem poder e influencia sobre o povo seria controlado por eles. Foi desse controle exagerado que a ideia do Game Assassin's Creed surgiu.

Os videogames sempre foram visto por todos como uma "mídia de entretenimento voltada para crianças", algo sem significado real ou influência.Por isso, não chamaram a atenção da Organização a principio. Mal sabiam eles que mais tarde se tornaria uma das principais fatias do universo do entretenimento. Quando isso ocorreu, era tarde: A Organização não tinha controle sob boa parte desse mercado. Esse fato deu liberdade para criação de inúmeros games que seriam “avisos” para os players. Tal como o jogo de tabuleiro INWO, que optou por um mídia sem controle para divulgar sua mensagem, visto que se tentasse isso em uma emissora de TV ou qualquer outra mídia controlada não conseguiriam, a sociedade Anti-Organização (quando digo Organização é apenas um nome para se referir ao conjunto de pessoas, melhor dizendo, famílias, que se uniram para controlar o mundo … ninguém sabe qual é o nome da "Organização") decidiram investir na Industria de Games para disseminar suas mensagens.


Assassin’s Creed seria uma história baseada em fatos ocorridos nas datas estipuladas no jogo. Boa parte do que ocorreu, realmente aconteceu daquela forma. Seria um resumo da História do Controle sob a nossa raça.


Quem jogou a saga sabe que os “artefatos” procurado pelos templários são “tecnologia avançada" e não “objetos mágicos". Isso fica claro com o final do segundo game, quando Ezio entra na “The Vault”, aonde acreditavam que morava o próprio “deus” e encontra Minerva diz que “eles criaram o humano como sua imagem e semelhança" e que não são “deuses”(todavia não fala nada sobre ser de outro planeta, o que leva à duas hipóteses:
A – Sim, de fato eles são extraterrestre que chegaram muito antes de habitarmos o planeta.
B – Eles são humanos de um futuro distante que viajaram no tempo para um passado remoto, criando um loop temporal.
Enfim, independente do que eles sejam, Minerva deixa implícito, assim como alguns trechos do game, que criaram os humanos para serem seus escravos. Mas isso não deu muito certo depois que Adão e Eva roubaram a "Maçã", artefato que continha o conhecimento. Eles se rebelaram e fugiram do "Eden".  Teve inicio à uma guerra de gigantescas proporções! Eles tinham mais tecnologia, armas, poder de fogo…. mas os humanos eram infinitamente mais numerosos. Durante a guerra, o sistema planetário entre em um estágio aonde o Sol entrou em um período de intensas tempestades solares, uma atividade gigantesca e caótica. Eles não perceberam isso e quando ficaram conscientes, tiveram que “fugir” daqui! Porém, nem todos fugiram e nem todos os humanos morreram e o confronto continuou.
Essa história vai de encontro com uma da “teoria da conspiração" muito famosa que diz que o Homem é o resultado de uma experiência genética. Segundo a Teoria, há muito tempo, os seres que se intitularam “Senhores” dessa Terra (o qual ninguém sabe a origem), presenciaram um colapso de sua civilização quando os minérios necessários para fazer a manutenção e colocar a sua funcionamento sua tecnologia começou a faltar. O recurso mineral era extremamente importante e sem eles, essa civilização avançada    começou uma decadente e tortuosa caminhada ao seu fim. Antes que isso acontecesse, alguém teve a brilhante ideia de resolver o problema adotando"mão de obra” escrava para extração dos minérios, já que a tecnologia dependia do minério para funcionar e usar minério que está em falta para extrair mais minério que está em ACABANDO é uma ideia bastante imbecil. Criaram o homem, uma criatura que era mistura de um primata com o DNA desses seres. Os humanos seriam seus escravos e por um longo período foi assim, até que eles precisaram inserir inteligência nos humanos e esses conscientes e em maior número, se rebelaram contra os seus criadores, tendo inicio a guerra da qual Minerva fala quando fala com Ezio.
Essa história de seres “supremos” usarem humanos como escravos é bem antiga, nem se sabe ao certo quem a criou, sabemos apenas que é anterior a Idade Média e que na época esses seres eram tidos como “deuses”. A Ubisoft quando foi criar a história de Assassins Creed fez uma colcha de retalhos entre relatos antigos dos chamados Hashishin’s, integrantes da “Ordem dos Assassinos” que realmente existiram no século XI  e o livro Link, o qual o autor John L. Beiswenger, que acusou a Ubisoft de plágio, sendo que o próprio havia se baseado em uma tecnologia “piloto” de recobrar memória dos antepassados através da "memória hereditária ( que segundo os estudiosos está apenas no papel por se tratar de uma teoria sem embasamento) para escrever sua ficção.
Claro que o game não ficou de idêntico a realidade, no entanto, muito do que está aí foi mesmo parte de nossa História e a questão é saber o que é real e o que não é! Estudando isso que os teóricos da Conspiração chegaram a conclusão que o próprio game é na verdade uma transmissão de informações para uma pessoa ou um grupo de pessoa em específico. Seria como se alguém quisesse te enviar uma mensagem a longa distância mas não sabe quem você é, não pode usar os meios de comunicações convencionais e muito menos, falar abertamente sobre em alguma mídia que atinge as massas, fazendo do game a “maneira perfeita” de transmissão de informação.
Comentários
0 Comentários