Deep Web: Tortura por encomenda




O texto de hoje trás como tema mais uma lenda que circula pelos fóruns sombrios da Deep Web. No caso dessa lenda, haveria na grande rede de pessoas ou organizações criminosas,
que sequestram outros seres humanos, sendo que as vítimas acabam sendo vendidas para que sejam torturadas, como forma de diversão, até a morte...É meus caros atormentados, nesse texto daremos mais um mergulho nas águas turvas e perigosas da Internet proibida.

Reza a lenda que Eli Roth, o diretor e roteirista do filme de terror "O Albergue" (The Hostel) de 2005, baseou o filme em casos reais identificados pela polícia de Nova Dehli, Índia. Depois de intensa investigação a polícia descobriu, o que se acredita tratar de um clube secreto, onde ricos e poderosos vinham de todas as partes do mundo com o intuito doentio de realizar seus prazeres demoníacos. Crianças e adolescentes, descendentes de famílias miseráveis que viviam abaixo da linha da extrema pobreza eram vendidos por seus pais e condenados ao terrível destino, serem torturados e espancados até a morte.

Em países da Asia, Africa e Europa Oriental, aonde a pobreza impera, e as leis e vigilância são poucas, esse tipo de crime é facilitado. Assim como no caso de Nova Dehli, na Tailândia foram descobertos casos semelhantes.

A DeepWeb servia como ponto de reunião ou veículo de informação, para os participantes desse clube ficarem sabendo de novas seções de tortura! Os responsáveis tinham um forte esquema montado. Você, eu, ou seja lá quem for, mesmo acessando a Deep Net, não consegue ter acesso à essas páginas. Somente convidados recebiam a senha. E essas pessoas só recebiam a senha depois que começavam a procurar por esses atos imundos na Internet. Então, os mafiosos detectavam o cliente em potencial e investigavam a vida do sujeito. Se ele tinha mesmo dinheiro para arcar com as despesas (acredita-se que fosse na casa dos milhões por pessoa ), os criminosos entravam em contato com o sádico e ofereciam o serviço. Após a confirmação de compra, o cliente recebia uma senha e um download de um software que permitia a decodificação da page, dando acesso às informações e também, possibilitando que o mesmo escolhesse sua vítima.
Comentários
0 Comentários