Recado da Morte


Quando Deus disse: que seja feito o fim
Meu sorriso se ascendeu na escuridão do Éden
Os anjos abaixaram a cabeça e o diabo fez o sinal da cruz
Deus então me chamou e disse que as minhas mãos
Eram as mãos de uma parteira e as de um assassino em série
E que, sete palmos de terra são o suficiente para igualar todos os homens
Minha presença é um suspiro da eternidade

Sou eu quem trabalha com o cupido escrevendo o futuro dos netos
Com a caligrafia dos avós, sou eu quem mata o fim da noite para que uma nova manha nasça, sou eu, aquela que ama tanto a vida que ao toca-la, levo-a comigo fazendo de suspiros finais um tapete vermelho e de extremas unções pedidos de casamento. Até que a (risos) os separe
Com o passar do tempo entendo que o Sol é uma estrela
Que supernova é a morte de uma estrela
E que para algumas crenças o sol era um Deus

Na minha mão até um Deus pode morrer
Um minuto a mais na verdade é um minuto a menos
se vocês soubessem o quanto a vida é passageira
correriam menos e entenderiam o porque o ‘agora’ se chama ‘presente’.
Agradeça cada amanhecer, sorria mais
Se preocupe menos afinal
O que tem solução se solucionará, o que não tem, solucionado está
Viva cada dia como se fosse o ultimo, eu
Mais do que ninguém, posso te afirmar que um dia vai ser
Seja feliz, como for, com quem for, por favor e por amor
Fica bem, se cuida e até breve!
Add a playlist
Cifra
Imprimir
Corrigir

Comentários
0 Comentários