Creepypasta: Escolhido para o Terror



Gabriel entrava em casa falando com sua mãe. Sobre tudo que dava errado e ela poderia ter evitado.
-Seria tão difícil ter comprado o pão e o café antes das 18:30? Agora vou ter que passar fome de noite porque alguém achou que seria falta de educação pedir à minha avó para comprar.
-Não teria como saber que iríamos demorar!

-Mas tinha como prevenir!
Isso sempre acontecia: Ele sabia que algo daria errado, mas o otimismo acabava com tudo. Era quase um sexto sentido, um pessimismo que previa o futuro. Por causa do otimismo de todos que ele conhecia, ele já perdeu dois telefones, um tablet, muitas chances únicas, quatro pizzas e outra coisas.
No dia seguinte, ele foi para a escola. Mais um dia normal e entediante. Lá, ele falava com seu amigo Guilherme, enquanto a professora explicava geografia sem ver o inferno atrás dela, a coisa que diferenciava o nono ano dos outros. Daí, ele teve a mesma sensação. Mas dessa vez era diferente, ele via tudo em câmera lenta, e avermelhado, ele sabia que algo errado iria acontecer. Ao olhar para o lado, viu um copo de vidro que lentamente caia; aproveitando aquele "sexto sentido especial", foi correndo e o segurou. Quando isso aconteceu, tudo voltou ao normal.
-Gabriel, o que você...Correu tão rápido...
-Mas eu vi que você e os outros estavam lentos...
-Ficou maluco? Você correu como um raio e pegou o copo. Fala como fez isso.
-Olha, se você não acredita, então cuide da sua vida.
Ele colocou o copo na mesa de alguém(que mais tarde se encrencou por levar vidro à escola)e esperou o horário da saída. Mais um dia normal, dessa vez conseguiu saciar a fome antes de dormir.
No meio da noite, acordou com sede. Por sorte, sempre tinha uma garrafa com água no quarto. Ele bebeu e ligou seu computador, para ver suas redes sociais. Às duas da madrugada, ele ainda continuava, até que voltou a visão em câmera lenta e a sensação de que algo daria errado. Ele dessa ver notou que andava numa velocidade normal, e raciocinou que os outros os veria mais rápido. Ele desligou o computador e tentou dormir. Em alguns segundos sua mãe apareceu no seu quarto, dizendo que ouviu o som de um teclado. Quando ela saiu, ele percebeu o poder que tinha em suas mãos, e que poderia impedir quase qualquer coisa ruim de acontecer na sua vida, ter uma vida quase perfeita.
-Bem, finalmente te achei.
Gabriel virou e viu um homem que tinha luz própria, que brilhava como fogo. Era da altura de um jogador de basquete, mas com a aparência de um empresário.
-Quem é você? Como entrou sem fazer barulho?
-Vim te mostrar o que você pode fazer. O sexto sentido que te dei, para quê você deve usar e como os ganhou. A propósito, prazer, Estrela Caída, Diabo, Senhor dos Mortos, tenho vários nomes.
-Fala logo.
-Bem, você sabe que eu quero ver o mundo se despedaçar. Para isso, eu te dei esses poderes, ser um destruidor; levar o terror para o mundo. Quando lhe surge uma oportunidade de destruir algo, você fica mais rápido, mas eu te mostrei só o básico. a sensação de que tudo daria errado é que, no fundo, você sabia que estava condenado a fazer tudo dar errado, desde os seis anos.
-Poderia dar um só prova de que eu vou destruir o mundo e blá blá blá, senhor "tudo-que-é-ruim-no-mundo"?
-O fato de que você fala normalmente comigo? Você se acostumou com a minha vista. Se você se lembrar, várias vezes você me viu escondido na sua vida. Agora, pegue algo.
-O quê?
-Pegue qualquer coisa, e sinta raiva.
Ele obedeceu, e pegou a garrafa. Quando seus dedos a seguraram, ele levantou e a mostrou.
-Agora sinta raiva, de qualquer coisa.
Ele se lembrou de tudo que dava errado, e a garrafa e envolveu em fogo negro. o fogo diminuiu, e quando sumiu, na mão dele estava uma uma granada.
-Pronto. Agora mate sua mãe.
-O quê?
-Você é surdo?
-Olha, por mais que ela faça muita merda e eu tenha sido escolhido para destruir o mundo, eu não posso fazer isso!
-VÁ!
Gabriel havia perdido a paciência, mal sabia que tinha que destruir o mundo e já queria eliminar sua primeira vítima, quem começou com tudo aquilo. Ele pegou sua luva de couro, que virou uma manopla de um metal desconhecido e deu um soco na boca de Lúcifer.
-Mas...um mortal...tirou meu dente...Viu? Você conseguiu me acertar! É pouco? Apenas aceite que você tem que matar! Esqueça sua mãe, mate quem quiser. E tome esse presente.
Um fogo negro apareceu, e tomou a forma de uma jaqueta, mas escura que a própria cor negra. Quando ele a vestiu, muitas informações pularam na sua mente, fazendo ele ter vontade de se divertir matando. Ele pegou o dente, que assim como os outros objetos, se incendiou e virou uma espada, com um cabo de sangue e lâmina de dente. Ele sabia que nome daria: Nightion. Aceitou seu destino.
Hoje ele está desaparecido, destruindo tudo que via, e deixando seu estilo caótico, e seu fogo negro. Se você viu algo desarrumado, ou alguma arma apareceu do nada, aceite seu destino.
Aceite...

Escrito por:Dr4kon
Comentários
0 Comentários